• Patrícia Candoso

Sim já sei... estou muito magra!

Atualizado: Fev 25



"Eu também não te digo que estás gorda, pois não?" Não consigo perceber qual é a fronteira, para a falta de respeito ou excesso de confiança que se tem, para toda e qualquer pessoa achar que pode comentar a magreza de alguém. É porque acham que quando somos magros não nos importamos com isso? Já em relação aos gordos ou mais volumosos há outro cuidado, porque podem ficar ofendidos, e isso mexe imenso com a sua auto-estima, se alguém lhes chamar a atenção de que estão mais gordinhos. Há pessoas magras que são magras por natureza, é genético, têm um metabolismo mais acelerado. Há outras que até o respirar as "engorda". Cada um com os seus problemas!


Claro que para os nossos pais estamos sempre magrinhos, eu própria sempre que vou à pediatra pergunto vezes sem conta se o peso da Maria Clara está bem, se ela não está magra... Mas tenho de aceitar que uma pessoa estranha, com a qual nem tenho convivência faça comentários como: "estás tão magra Patrícia!" isto num registo de voz em tom de pena... Por amor de Deus, há que ter o mínimo de educação.


Sou magra sempre fui, não me lembro (a não ser durante a gravidez) em toda a minha vida, de ter visto a balança acima dos 54kg. Antes mesmo de engravidar estava com 51kg. Claro que o registo de peso em que me sinto mais confortável comigo mesma, em que as minhas próprias roupas me vestem melhor são os 52,5kg. Pois bem neste momento estou com 50,8kg e confesso que há uns largos meses, depois de deixar de amamentar baixei para os 49kg. Bom, garanto-vos que como e não me coíbo de comer o que quer que seja, claro que tento ter sempre uma alimentação mais saudável, mas não faço dietas nem nada que se pareça.


De facto sei que tenho um metabolismo muito acelerado e se por acaso salto uma refeição, isso já faz diferença. O cansaço e o stress, no meu caso, também "ajudam à festa" e fazem-me emagrecer. Compreendo a frustração de algumas mães que olham para mim (passadas duas semanas da Maria Clara nascer já estava com 54 kg) e possam invejar o meu peso e pensar que nunca conseguiram recuperar de uma gravidez... que se esforçam e parece que nada dá resultado. Mas não são as únicas a sentirem-se frustradas... cada mãe tem o seu tempo, o seu ritmo, os seus problemas. O importante é conseguirmos ter auto-estima com o peso e imagem que temos. Não é a "agredir" os outros que a nossa auto-estima vai aumentar...


E por favor, se não é educado chamar gorda a ninguém, chamar magra também não é. Principalmente, quando é feito num tom de pena, como se a pessoa estivesse anémica, ou a adivinhar uma doença devido à "extrema magreza".



0 visualização

visitantes

Fica a par de todas as novidades

© 2017 Quero a minha mãe. Proudly created with Wix.com