visitantes

Fica a par de todas as novidades

© 2017 Quero a minha mãe. Proudly created with Wix.com

  • Mãe Convidada

As diferenças da segunda gravidez



Aqui está o primeiro texto desta nova categoria Palavra de Mãe. A autora é a Patrícia Paulo, podem conhecê-la melhor na página Le Petit Vi, que aqui no blog desabafa um pouco sobre as diferenças entre a primeira gravidez e a segunda. Entretanto, o seu segundo menino já nasceu, na sexta-feira dia 14 de Fevereiro. Muitas felicidades! Certamente daqui a uns tempos teremos novo texto da Patrícia, para nos falar de outros temas.


Palavra de Mãe, por Patrícia Paulo


Ser mãe de 2 é sempre uma aventura, não mais pequena que ser mãe de 1. Os obstáculos continuam a ser muitos, as aprendizagens e os recuos também e parece que, de repente, voltamos à estaca zero. E isso acontece desde que eles começam a ser pessoas na nossa barriga. É uma viagem de 9 meses diferente de mulher para mulher, de bebé para bebé. Aos meus olhos, estas são algumas diferenças:

A ansiedade Uma vez que a 1ª gravidez resultou em aborto espontâneo, a sua existência marca de uma forma si gnificativa a 2ª (que habitualmente me refiro como 1ª por ter resultado num bebé vivo). A ansiedade de saber que a perda se pode repetir é sempre enorme e isso definiu muito a gravidez do Vi, em especial os primeiros 3 meses. Desta vez tudo foi levado com mais tranquilidade e com mais aceitação por cada obstáculo que iria surgindo, até porque ter um filho já nascido não nos deixa focar da mesma forma na barriga.

As opiniões Se de uma 1ª gravidez temos meio mundo a tentar “ensinar” o que é ser mãe ou o que é estar grávida, de uma 2ª temos uma crítica constante à forma como levamos a gravidez, mais que de uma 1ª, que nos “desculpam” com a falta de experiência: “Só 3 anos de diferença? O Vi ainda precisa tanto de atenção” “3 anos até acho muito, bom é quando é logo seguido e não te desabituas das fraldas” “grávida e dá colo? Por isso é que está de repouso” “grávida e não dá colo? Depois não querem que os mais velhos sintam ciúmes”.

O esforço É inevitável. Com o Vi a exigir de mim existe muito mais esforço físi co e psicológico durante toda a gravidez: o colo, o arrumar a casa, o ter de realizar as rotinas, cozinhar sempre, a calma que nos dias de birras não é possível, a preocupação por algum motivo. No meu caso traduziu - se numa gravidez de repouso precoce que, felizmente, não resultou em parto prematuro. Mas também é certo, que muito do movimento que nos é pedido para o trabalho de parto, eu tinha de o fazer forçosamente e isso foi uma mais valia.

A barriga Sei que não sou a única em que a barriga de uma 2ª gra videz aumenta de forma significativa face à 1ª. No meu caso, com 3 meses, tinha a barriga de 5 meses do Vi, mas ao longo da gravidez, foi ficando proporcional à da 1ª.

O simplificar Se do 1º queremos dar tudo e o melhor, do 2º (para além das heranças do i rmão), percebemos a quantidade de coisas que compramos que têm pouca ou nenhuma utilidade. Também aquela metodologia do by the book é substituída pela nossa intuição, que nos foi ensinando antes que é sempre o melhor caminho a seguir.

A culpa Antes de ser mos mães achamos que sabemos quase tudo, que estamos preparadas para quase tudo e, quando eles nascem sentimo - nos pequenas. Esta pequenez leva - nos a um sentimento de culpa por cada vez que erramos, que não fazemos o supostamente certo e não acertamos à primeira. Numa 2ª gravidez esse sentimento acompanha - nos desde cedo, no fundo porque não conseguimos dar ao 2º a atenção e conforto que demos ao 1º e porque não conseguimos dar ao 1º uma continuidade de calma, serenidade e qualidade de vida como tínhamos feit o até então.

Cada gravidez traz-nos ensinamentos diferentes, dores diferentes, mas amores na mesma proporção. E é por isso que me sinto tão feliz e realizada como da primeira vez.

722 visualizações