visitantes

Fica a par de todas as novidades

© 2017 Quero a minha mãe. Proudly created with Wix.com

Inspira... contrai... expira...

July 8, 2018

 

 

A recuperação pós-parto é muito importante a nível físico e mental. Mas também por uma questão de saúde. Felizmente a minha recuperação foi rápida, mas esta semana até me assustei quando subi à balança!

 

Um dos objetivos que nós, recém-mamãs, temos em comum é voltar ao peso que tínhamos antes de engravidar. Mas nem sempre é fácil e por vezes não sabemos como fazê-lo, ou simplesmente estamos tão envolvidas na maternidade (e tudo de bom e menos bom que ela tem) que não sobra tempo, nem paciência, para tentar emagrecer.

 

A minha recuperação da cesariana não foi nada fácil, como já vos contei, a minha bebé foi para a neonatologia e ao segundo dia já andava eu para cima e para baixo a percorrer os corredores do hospital para estar com ela de 3 em 3 horas... isto durante uma semana, sem grande descanso e uma alimentação pouco cuidada, confesso! 

 

Ao fim de quatro semanas já tinha perdido 2/3 do peso de gravidez. Apenas porque estava a amamentar, não fazia mais nada, tentava descansar e comer o mais saudável possível. É impressionante como o acto de amamentar (que nos provoca imensa fome) ajuda a emagrecer. Segundo estudos clínicos ao produzir leite e ao amamentar, o corpo queima calorias! 

 

Houve um dia em que estava a amamentar a Maria Clara na neonatologia e sentia algumas dores, mas pensei que fosse da cesariana. Comentei com a enfermeira que me acompanhava e ela explicou-me que ao amamentar o corpo liberta ocitocina e assim o cérebro "recebe a informação" de que o bebé já nasceu e estimula o útero a voltar ao lugar. Eram essas pequenas contrações que eu estava a sentir.  Achei fascinante! 

 

Comecei a minha recuperação a sério, às seis semanas. É o recomendado quando se faz cesariana. Tive a ajuda e acompanhamento da Sofia - Mais Vida Portugal - que me detectou uma pequena diástase abdominal. Nada de preocupante, felizmente, e como sei e faço regularmente exercícios de respiração, foi fácil interiorizar o processo. Mas custou e suei bastante, um simples exercício como este (foto do primeiro dia de treino com a Sofia) acabava comigo, não tinha força nem fôlego...

 

 

Inspira... contrai... expira... a sério! Funciona mesmo! Passadas oito semanas já estava com o meu peso normal e com muito menos volume na barriga. Passo seguinte tentar tonificar e ganhar massa muscular... mas pergunto: Quem consegue ir ao ginásio com uma bebé de 2 meses dependente de nós 24 horas? E quem consegue, há força de vontade? Tiro o meu chapéu... eu não consegui!

 

Optei por esperar mais uns meses e continuei a dar de mamar e a fazer os meus exercícios de respiração e, claro, uma alimentação cuidada.

 

No mês passado juntei-me ao grupo Magic Moms, mães que treinam com os seus bebés ao ar livre, uma manhã por semana. E tenho-me sentido óptima, é bom para a Clarinha e para mim! No entanto, com o regresso ao trabalho perdi um pouco o controlo sobre a alimentação. 

 

Esta semana resolvi pesar-me e estou com 48,5kg! Menos 3 do que o meu peso habitual... Acho que já não descia dos 50 há mais de 15 anos. Até me assustei... pesei-me 3 vezes seguidas para confirmar.

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Autora de Quero a Minha Mãe, um blog dedicado ao universo complexo das mãe. 

FEATURED POSTS

Please reload